sábado, 30 de maio de 2015

Turismo acessível e inclusivo FORMAÇÃO

Turismo acessível e inclusivo

Resultado de imagem para turismo acessivel



Apresentação
O curso de Turismo Acessível e Inclusivo tem como objetivo central contribuir para uma melhor formação na vertente do Turismo e de mais e melhores espaços e programas turísticos acessíveis para todos os interessados. Propõe-se valorizar, potenciar e atualizar os conhecimentos para trabalhos, populações, estruturas, locais, organizações que detenham especificidades relacionadas com as suas acessibilidades e necessidades diferenciadas. Um dos objetivos é contribuir para a adequação do setor turístico nacional a uma realidade em constante mudança, mas também para o incremento dos seus fatores de competitividade através do acréscimo da qualidade dos produtos e serviços disponibilizados para todas as populações e públicos-alvo.

Público-alvo
Licenciados que pretendem adquirir competências na área do turismo;
Licenciados e ou profissionais do setor do turismo, que pretendem consolidar/aprofundar os seus conhecimentos e competências.

Competências a promover
O turismo regista presentemente um processo de crescente democratização, traduzido numa procura mais global e heterogénea, facto que se traduz em novos perfis de consumidor. Hoje, por exemplo, por força de um conjunto de alterações estruturais, nomeadamente sociodemográficas, os públicos com mobilidade condicionada são igualmente cada vez mais frequentes no contexto das práticas turísticas. Neste sentido importa especialmente capacitar profissionais do sector do turismo e hotelaria, de modo a que a estes estejam preparados para acompanhar as dinâmicas próprias da presente realidade. Para tanto é necessário estimular e aprofundar um naipe alargado de competências suscetíveis de ancorar um desempenho profissional esclarecido e com os olhos postos na capacidade de inovação e adequação das instituições, muito em especial no que às empresas turísticas e hoteleiras de diz respeito. Entre outras, destacam-se as seguintes:
  • Desenvolver competências relacionadas com as especificidades de programas para populações com maiores dificuldades de deslocação, acessibilidades ou necessidades de outro âmbito como culturais, físicas, etc.;
  • Coordenar, estruturar e avaliar ações de intervenção no sistema turístico;
  • Desenvolver capacidades de relacionamento institucional, seja no âmbito da elaboração de instrumentos de planeamento e gestão territorial e setorial, seja no domínio da operação turística;
  • Definir, aplicar e suscitar a aceitação de métodos e técnicas de intervenção e trabalho suscetíveis de maximizar a competitividade das empresas e destinos no estrito respeito da sustentabilidade dos territórios, produtos e empresas;
  • Dinamizar linhas de parceria entre agentes empresariais e institucionais, com o objetivo de qualificar os produtos e os destinos turísticos para as circunstâncias da acessibilidade;
  • Avaliar as dinâmicas, internas e externas, que influenciam o desenvolvimento do setor turístico e das organizações que nele operam, sabendo discernir as tendências pesadas e as de conjuntura;
  • Compreender e saber aplicar os métodos e técnicas da prospetiva, tendo em vista colocar o futuro como dimensão temporal importante nos processos de decisão;
  • Dominar os métodos e técnicas de inventariação e avaliação de recursos, bem como a sua adequada valorização através da organização de eventos coerentes face ao destino e a outros produtos turísticos e com elevado grau de atratividade;
  • Reconhecer e valorizar a centralidade do consumidor turístico, sabendo as formas de adequar a oferta aos anseios e exigências da procura – ou de segmentos específicos da procura – no sentido de aumentar os seus níveis de satisfação;
  • Compreender as implicações do desenvolvimento turístico nos quotidianos das populações das bacias recetoras e na organização desses territórios, desenvolvendo práticas e promovendo políticas suscetíveis de salvaguardar os fatores do bem-estar geral e a distribuição justa e equitativa das externalidades geradas;
  • Saber analisar e dinamizar os mercados e as empresas de organização de eventos numa ótica de inovação e competitividade;
  • Demonstrar uma atitude ética e socialmente responsável ao nível das intervenções e das empresas turísticas.
VEJA MAIS AQUI

Sem comentários:

Publicar um comentário